5 Passos para se realizar um Projeto Mecânico

Você já se perguntou como um projeto mecânico é realizado?

Um bom projeto não é construído somente com membros habilidosos e competentes. A organização e a criação de um modelo são essenciais. Mesmo que exista um esforço inicial com documentação e registros, é importante que algumas etapas sejam seguidas, evitando que problemas possam se propagar durante a execução do projeto. No caso de um projeto mecânico, isso não é diferente, porém, algumas etapas devem ser realizadas de forma distinta. Veja, a seguir alguns tópicos que podem auxiliar na organização de um projeto mecânico e que explicam como a idealização de uma máquina é construída e aplicada:

  1. Iniciação: 

Nessa fase, o gerente do projeto deve conhecer quais são as informações e requisitos necessários para que o projeto ocorra da melhor forma possível. Isso inclui todo o processo de análise do problema, desde o contato inicial com o cliente, até o fim da negociação.

Uma parte importante dessa etapa é a realização de um bom diagnóstico. Este deve ser realizado de forma profunda. Para isso, o responsável deve saber exatamente quais informações e parâmetros são necessários colher para que a análise do problema seja feita de forma detalhada e realmente revele como o problema pode ser resolvido.

No caso de um projeto mecânico, essa etapa visa entender quais são as intenções do cliente, qual a função exata da máquina a ser projetada, compreendendo também os riscos oferecidos. Nesse sentido, é importante que após a realização do diagnóstico e da análise do problema, haja geração de ideias que possam fundamentar a estruturação da máquina. Um esboço geral da máquina, por exemplo, pode auxiliar nesse contexto e pode, inclusive, ser apresentado ao cliente na finalização das negociações.

Ademais, a preocupação deve ser o entendimento macro do projeto, incluindo o conhecimento sobre as influências gerais que interferem no mesmo. Deve-se conhecer todos os riscos, custos, necessidades, restrições ao escopo, premissas e propósitos.

  1. Planejamento:

Nessa fase, o detalhamento das informações é essencial. Para isso, a etapa anterior deve estar completamente consolidada. Assim, o gerente de projetos deve estruturar, a partir de um histórico de projetos anterior, todo o processo que dará surgimento à máquina. Sendo assim, a análise minuciosa de todos os custos, tempo de produção, do que será necessário para que a máquina seja projetada, de quais as obrigações legais da empresa contratada e a descrição dos possíveis riscos, são muito importantes.

Um bom artifício, nessa fase, é estruturar o projeto em partes, de forma que a execução ocorra de modo organizado. Pode-se, por exemplo, dividir o projeto em etapas de estudo, pesquisa de material, considerações, cálculos, dimensionamento, modelagem, definição das proteções de segurança e simulação. Em alguns casos, é importante que haja ainda uma etapa de orçamentação, para saber qual será o custo de fabricação da máquina.

A estruturação desses ativos organizacionais, sempre que possível, deve ocorrer em conjunto com a equipe, pois algumas particularidades, demandas ou novas ideias podem passar despercebidas. É essencial eliminar atividades irrelevantes.

  1. Execução: 

Nessa fase, todo o cronograma construído no planejamento deve ser seguido, de forma que as atividades sejam divididas entre os projetistas, evitando que haja acúmulo de atividades por um membro, em relação a outro. Algumas ferramentas podem ser importantes nessa fase, para auxiliar na organização das funções de cada membro, evitando que haja perda de informações. Sendo assim, a documentação e o acompanhamento do gerente é essencial, de forma que no fim de cada etapa, deve haver uma revisão minuciosa do que foi feito, evitando que erros se propaguem por todo o projeto.

É muito importante que os membros tenham noção do planejamento como um todo e que este não seja totalmente fixo, de forma que, em caso de necessidade, o gerente possa modificar o cronograma do projeto, com o intuito de que a máquina seja projetada seguindo todas as especificações.

A fase de execução é a mais demorada e trabalhosa. É nela que realmente todo o projeto é colocado em prática e onde está concentrada a maior parte do esforço, energia e recursos destinados ao projeto. Mas para que essa fase seja produtiva, as etapas anteriores devem estar bem definidas, evitando que haja retrabalho.

  1. Monitoramento e controle:

O monitoramento e controle é o processo de acompanhamento, revisão e ajuste das etapas do projeto para atender aos objetivos de desempenho definidos no plano de gerenciamento. Essa fase é a responsável por manter a qualidade do trabalho, garantindo que tudo seja feito corretamente e dentro dos prazos e é feita paralelamente à execução.

No caso do projeto mecânico, o monitoramento e controle devem ser constantes, se possível, diário, visto que é possível que a ideia até então estabelecida para a execução da máquina seja inviável ou que deva ser modificada.

Nessa etapa, a presença do gerente de projetos é essencial. Além disso, outros departamentos devem se envolver, buscando um nível de qualidade exemplar.

  1. Encerramento:

Após todas essas etapas serem concluídas chegamos ao fim do projeto. Essa fase corresponde ao processo de finalização de todas as atividades. Apesar de o projeto estar pronto, é importante que ele seja validado pelos membros e, principalmente, pelo cliente.

Sendo assim, a finalização do projeto inclui a entrega ao cliente, a aplicação de todas as pesquisas referentes ao projeto e a realização de um apanhado geral que resuma todos os pontos de melhoria dentro de todas as etapas.

Tudo isso é importante para minimizar erros em projetos futuros, aumentando a qualidade cada vez mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *