Realize um projeto eficiente do sistema de refrigeração industrial da sua empresa, agora mesmo!

A refrigeração é definida como a ação de resfriar um determinado ambiente de forma controlada, tanto para viabilizar processos, processar e conservar produtos como também para efetuar a climatização para conforto térmico. Com o avanço dos meios de comunicação e maior difusão de conhecimento, diversas empresas, com o intuito de economizar recursos, evitam contratar especialistas para realizar projetos na área de refrigeração, considerando que não há necessidade de um estudo para tal. Com o passar do tempo, os sistemas de refrigeração acabam se deteriorando, acarretando em prejuízos financeiros que superam, e muito, o investimento de um projeto que evitaria tal problema.

A necessidade de mão de obra especializada na área de refrigeração tem crescido muito, principalmente no que se refere à manutenção. Como muitas empresas não se preocupam em oferecer treinamentos aos funcionários ou não se preocupam em estudar de fato o possível sistema, os gastos com manutenção corretiva chegam a valores altíssimos. De fato, como a procura é elevada e a oferta é baixíssima, os preços tendem a aumentar.

Nesse sentido, destacamos alguns tópicos a seguir que evidenciam a importância de se realizar um projeto de qualidade em sistemas de refrigeração industrial

1.  O projeto deve avaliar as condições ambientes do local a ser refrigerado:

Sabemos que no verão, as temperaturas locais, assim como a umidade tendem a se elevar consideravelmente. Os resfriadores, por exemplo, tendem a consumir uma quantidade de energia muito maior que em outras épocas do ano para gerar o mesmo resultado.

Quando consideramos um local, em detrimento de outro, isso também ocorre. Para cada lugar, encontramos diferentes condições de pressão, temperatura e umidade, de forma que no caso de um sistema de refrigeração, os elementos irão atuar de forma distinta.

Sendo assim, o projeto de refrigeração deve considerar cada parâmetro e as possíveis faixas de variação destes no decorrer do ano. Um sistema, por exemplo, que funciona bem em um determinado local, não funcionará da mesma forma em um outro ambiente. Se a temperatura do ambiente varia, por exemplo, a carga térmica de refrigeração necessária para climatizar o mesmo ambiente também irá variar, o que altera o desempenho do sistema como um todo.

2. O tipo de fluido Refrigerante utilizado modifica o projeto:

Quando um engenheiro inicia um projeto de refrigeração, deve avaliar o que chamamos de carta psicométrica. Nesta, há um conjunto de parâmetros que identificam o tipo de refrigerante utilizado. Dentre esses parâmetros destacamos a entalpia, a temperatura de vaporização do gás, a entropia, o volume específico do fluido, entre outros.

A alteração do tipo de fluido refrigerante utilizado, modifica os cálculos do projeto, o que tende a modificar o tipo de lubrificante utilizado no compressor, o tamanho do condensador, o tamanho do cooler e a temperatura do processo.

Se uma empresa, por exemplo, que utiliza câmaras frigoríficas para armazenar alimentos, não considerou o tipo do refrigerante nos cálculos do projeto do sistema, a tendência é que o sistema falhe constantemente e não consiga suprir a demanda. Desse modo, além de ter que arcar com gastos altíssimos para fazer com que o sistema funcione, a empresa poderá arcar com um grande prejuízo no caso de o estoque estragar, por exemplo.

Nesse sentido, caso um diagnóstico constate uma falha no projeto, relacionado ao refrigerante, deve-se realizar um método conhecido como retrofit, no qual há a adaptação do sistema para outro tipo de fluido, havendo a troca do lubrificante, do tipo de filtro, da válvula termostática, do sistema hidráulico como um todo e a limpeza de todo o sistema. Porém, não será necessário que todo o sistema seja alterado, o que poderia gerar gastos extremamente altos para a empresa.

Contudo, o ideal é que esse tipo de método não seja aplicado, o que irá ocorrer se no início, o sistema for estruturado a partir de um Projeto de Refrigeração personalizado e de qualidade.

3. Um bom projeto de isolamento determina o sucesso do sistema:

O isolamento é o fator mais importante no consumo energético de uma instalação de conservação pelo frio, pois ele influencia na entrada de calor no ambiente refrigerado. Sendo assim, a atenção sobre o tipo de isolamento do ambiente deve ser dobrada, de forma a evitar que haja transferência de calor do ambiente externo para o ambiente refrigerado.

Ademais, o projeto deve avaliar o tipo de isolamento também das tubulações do sistema. Um sistema industrial, por exemplo, costuma envolver diversos tipos de equipamentos, de forma que as tubulações são essenciais no transporte de fluido refrigerante, água e ar de um equipamento para outro e para o ambiente. Dessa forma, o mal isolamento das tubulações dos equipamentos e das câmaras pode ocasionar aumento de temperatura do fluido transportado, prejudicando o funcionamento do sistema.

Deve-se avaliar, portanto, o melhor isolante para cada caso, considerando o custo benefício do projeto e as dimensões dos elementos.

4. Dimensionamento dos componentes:

Percebe-se que muitas empresas evitam investir em projetos, optando por definir um modelo padrão de sistema, de forma que os componentes e o sistema como um todo não são dimensionados de forma personalizada. Além de prejudicar o funcionamento geral, esse fato pode trazer grandes problemas relacionados ao consumo de energia, de forma que o que anteriormente era uma economia de recursos, a médio e longo prazo trará gastos muito maiores que o valor inicial do projeto.

Sendo assim, é de extrema importância que, para se aplicar um sistema de refrigeração industrial, haja uma análise completa de todos os parâmetros, a fim de, a partir dos cálculos, dimensionar todos os componentes.

As tubulações, por exemplo, devem ser dimensionadas, considerando a vazão de ar e água e do fluido refrigerante que é transportado de um equipamento para outro. Se uma tubulação for superdimensionada, por exemplo, o fluido pode circular com uma velocidade e pressão baixas, trazendo problemas à própria circulação de ar e ao sistema como um todo.

Outro grave problema que é possível encontrar em diversas indústrias, é a substituição de algum componente defeituoso por outro sem qualquer estudo prévio, seja do fabricante, da especificação do componente ou da própria funcionalidade do mesmo. Isso pode ser extremamente prejudicial ao sistema, visto que se o componente colocado tiver uma funcionalidade diferente, ou uma especificação que não se enquadre dentro do escopo do sistema, o risco de um pane elétrico ou de algum problema que prejudique tanto o sistema como a saúde dos colaboradores é bastante elevado.

A partir desse texto foi possível perceber como a realização de um Projeto de Refrigeração de qualidade é importante para que um Sistema de Refrigeração Industrial possa funcionar corretamente, evitando gastos excessivos com energia ou problemas constantes com Manutenção. Sendo assim, fica claro que o que inicialmente poderia parecer um investimento alto, a médio e longo prazo torna-se extremamente necessário e importante para o bom funcionamento da empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *