Problemas do setor alimentício juiz-forano

No meio de inúmeros setores da economia, o alimentício merece um destaque maior no cenário juiz-forano, visto que representa grande parcela da movimentação econômica desta cidade.  Contudo, para continuar em destaque, deve cada vez mais investir em meios que permitam sua sustentabilidade enquanto potência econômica e produtiva. Problemas como produtividade baixa, dificuldade em padronização e controle de qualidade são os principais desafios desse setor. Manter a satisfação dos clientes e atender às expectativas criadas durante a oferta do produto é crucial para manter-se em destaque e também o melhor caminho para abranger ainda mais a atuação no mercado de Juiz de Fora

Desafios do setor alimentício juiz-forano

Hoje, um dos grandes desafios do produtor de médio porte do ramo alimentício é ter a sua produtividade restrita ao rendimento dos funcionários envolvidos nos processos da empresa. Questões como dificuldade em controlar cortes e quantidades, são exemplos claros de que há problemas durante a execução da tarefa. Quando essas tarefas são realizadas única e exclusivamente de maneira manual, esse problema se mostra ainda mais presente no dia a dia do empreendimento. O fato é que, controlar padrões de maneira empírica não é nada efetivo e benéfico para a sustentabilidade da empresa enquanto meio de obtenção de resultado e lucro. Problemas como falta de padronização, sobrecarregamento de funcionários, dificuldade no controle dos processos, desmotivação da equipe e margem de lucro muito variável, são decorrentes desse controle inadequado e, infelizmente, muito usado no ramo alimentício, principalmente quando se trata de produção artesanal. Essa realidade se dá por diversos fatores e um deles é a falta de padronização dos produtos e do processo produtivo da empresa, visto que com a falta dela o controle dos resultados esperados, como custos, qualidade do produto entregue ao cliente e satisfação do mercado ficam defasados e apresenta um risco para o empreendimento.

Exemplo na prática

Um exemplo clássico é do ramo de lanchonetes em que o funcionário precisa entregar ao cliente um produto com qualidade e dentro dos padrões exigidos, porém quando os lanches são feitos de maneira totalmente manual se perde o controle do quanto de ingredientes está sendo colocados durante a montagem do produto. Isso ocasiona problemas em relação à quantidade de determinado insumo é colocado em cada lanche, ficando alguns produtos com maior quantidade que outros. Contar com as habilidades manuais dos funcionários, que geralmente tem um prazo curto para entregar uma grande quantidade desses lanches, pode ocorrer variação nos resultados do produto final. A diferença na padronização pode afastar os clientes, pois gera insatisfação, além disso problemas relacionados ao cálculo preciso do custo final do produto pode fazer com que a margem de lucro varie bastante, o que não é nada atrativo para o caixa da lanchonete, nesse caso.

O que levar desse artigo para o setor alimentício

Há diversas maneiras de garantir o capital produtivo e se manter no mercado e uma dessas formas é investindo em projetos de engenharia que permitem que as empresas aceleram seus processos produtivos e aumentam a satisfação de seus clientes, como por exemplo, projetos de máquinas. Os projetos de máquinas são estudos de engenharia que levam em consideração às necessidades especiais e particulares de cada processo, podendo solucionar desde problemas relacionados à padronização da produção até mesmo os relacionados ao tempo gasto no processo em questão e gastos desnecessários, aumentando a margem de lucro do empresário e garantindo qualidade nos produtos que estão sendo ofertados no mercado. Os ganhos obtidos quando se tem maquinários exclusivos para cada processo são inúmeros e podem sanar todos os problemas que foram apresentados como decorrentes da falta de padronização da produção. Ou seja, o ramo alimentício juiz-forano embora enfrente problemas para se sustentar, tem boas soluções para se manter como destaque na economia e continua como potência mediante o mercado, basta ter um cuidado e se atentar aos problemas que podem, de fato, o ameaçar.

Figura 1: Os projetos mecânicos podem ajudar empresas a inovar no setor alimentício